quarta-feira, 14 de abril de 2010

Crianças no Candomblé - Iniciar ou não!!!

Iniciar ou não crianças?

Esse é um ponto muito discutido entre a comunidade do candomblé, pois existem dois pontos de vista opostos sobre a questão. Estou escrevendo com base em tudo que ouvi, entre abiãs, yaôs, babalorixás e aqui também consta a minha opinião.


O Candomblé é uma religião familiar, sendo que muitos axés os herdeiros só podem ser pessoas ligadas a laços sanguíneos, então para que esses herdeiros estejam preparados, devem ser iniciados ainda cedo, para que haja um aprendizado mais profundo, são esses os casos, da saudosa Mãe Menininha, Pai Pecê, e muito outros que foram iniciados ainda bem pequenos.

Muitas pessoas discordam da iniciação de crianças, sem que haja "bolamento", ou seja, por doença, pois dizem que essas crianças não têm a escolha de ser ou não se da religião, pois ainda não tem a consciência do que quer ou até mesmo defendem a tese que posteriormente pode haver uma cobrança do orixá, caso a criança, quando adulto, não queira seguir a religião.

Eu vejo por outro lado, se você pai ou mãe é adepto do candomblé, e vê o nosso culto como algo que seja bom e tem , você também quer isso pro seu filho, afinal queremos pra eles o que é de melhor. Outro ponto também é a própria religião como filosofia de vida, ensinamos as nossas crianças a respeitarem a natureza, a terem respeito por seus pais, educação, pois lembrando que já abordamos no texto sobre rumbê, educação de axé, nada mais é que uma educação rígida, como nos tempos de nossos avós. Só que não devemos esquecer que são crianças, e devem brincar estudar, se formar como pessoas dentro da sociedade, e não podemos sobre carregá-las de responsabilidades, pois isso pode gerar futuros traumas, e esse não é o objetivo do candomblé e também se dermos a ela uma base segura e fiel, na maioria dos casos, essa criança adotará o candomblé para sua vida.

Eu tenho exemplos atuais de crianças dentro do candomblé, como as netas de meu babalorixá, Pai Toninho de Xangô, Vivian (na foto incorporada pelo orixá Oxum) e Vitória(na foto acima), hoje já pré-adolescentes, elas dão um show de rumbê, responsabilidade, sem deixar de viverem suas vidas, ambas estudam, e se divertem.


Há três meses, em minha casa, foi iniciada uma criança, Mateus de Xangô (na foto, nos meus branços, no dia do seu orunkó), de dois anos, seus pais são iniciados no orixá, egbomi Cláudio e a yaô Rosinha de Yemanjá, e o ponto de vista dele, foi o seguinte, "o que é bom pra mim é bom para o meu filho", e assim hoje já tendo sua vida normal, ele apresenta grande melhora de comportamento, antes uma criança que chorava muito e fazia muita birra, Mateus em apenas três meses, demonstra comportamento calmo e até melhor desempenho nas atividades na escolinha, isso porque durante sua iniciação ele recebeu muito carinho, atenção, e era isso que ele precisava. Hoje ele é xodó da casa. E até mesmo nos rituais mais fechados devemos tomar muito cuidado, para não transformar em algo stressante para a criança, para isso, sua mãe carnal acompanhou todo o processo, acalmando e sendo assim, foi tudo muito natural para ele.


Como podemos analisar, essa é uma questão muito delicada, lembrando que caso você zelador ou zeladora, inicie uma criança, os pais devem estar de total acordo, e se possível registre isso no papel, para não haver nenhum tipo de imprevisto, sabemos que hoje existem leis que assistem a esse tipo de coisa, e mesmo morando em um país onde o culto ao orixá é livre, temos que ter responsabilidade, para que possamos exigir nossos direitos.

2 comentários:

Ary e Rafa Amor Eterno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danilo Oliveira disse...

Motumbá,
Me chamo Danilo Oliveira,
Sou Dofono ty Odé, Iniciado em 09/12/2010 sou novo na religião porém tenho um bom conceito da religião com a socialidade.
E acho que sim devemos iniciar nossos filhos ao orixá. Acredito que desde pequenos ja devem seguir a nossa fé mesmo sabendo que por más que vivemos em um país liberal sempre haverá o preconceito e desde pequeno ja devemos mostrar o caminho de nossa fé para nossos filhos além de ajudar a mante-los em nossa religião e fazer com que eles também aceite essa religião como sua fé estaremos ajudando a futuramente ele não desistir do orixá pelo preconceito de outros adeptos de outras religiões.
Além do mais em outras religiões os páis logo quando os filhos nascem eles aguardam um pouco tempo e ja o batizam para seguir a fé deles, e acho nada más correto que fazer-mos o mesmo com nossos filhos. Sim quando eles crescerem terão o direito de escolher ou não continuar na religião más acredíto que assim como nas outras religiões as maiorias permanecem na religião e acredito que assim também será com nossos filhos.
Muito Asé ao Ilê de vocês.
Motumbá.