quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Orixás – Yá Oti e Odé Oti

Primeiro temos que entender uma coisa existe Oti e Yá Oti, que são orixás diferentes, hoje vamos falar sobre Yá Oti e também Odé Oti, onde muitas pessoas dizem que não se inicia Yá Oti , apenas Odé Oti é raspado, mas como sempre digo isso muda de axé para axé, deixo claro que já vi pessoas iniciadas a Yá Oti e também a Odé Oti.

Yá Oti

Yá Oti, é filha de Okê, a montanha e Yemonjá. Suas itans dizem que ela tem três seios, e que seria casada com Odé Aganã. Senhora da fertilidade e companheira de caça. Oti é patrona da pesca, tem fundamento também com Oxum.

Nascimento de Yá Oti

Oke e Yemonjá viviam juntos, porém tinham um acordo de nunca falarem sobre os genitais avantajados de Okê, e ele não falaria dos seios grandes de Yemonjá. Então um dia, Yemonjá decide visitar seu pai, Olokun, sem avisar o marido e quando retorna, Okê que tinha o temperamento forte, briga com a mulher e então os dois rompem o acordo, magoada ela vai embora e se transforma em um rio para alcançar mais rápido o oceano de seu pai. Okê nesse momento se transforma em uma montanha para impedir que ela chegue ao mar. A terra que era seca, fica fertilizada pela água do rio de Yemonjá e nasce uma linda arvore de mogno-da-guiné e de dentro dessa arvore surge Oti, uma linda menina, negra como a noite de olhos brilhantes com a primeira estrela do céu, então Okê, triste por perder Yemonjá cria Oti e lhe faz princesa de suas terras.

Yá Oti e Odé

Apesar de ser uma princesa, Oti desde pequena aprendeu a caçar, e em uma dessas caçadas, ela encontra Odé Aganã, e se apaixona. Odé então pede a mão de Oti a Okê e casa-se com a moça, porém Odé vivia com mais 5 esposas. Oti era famosa por ser ótima cozinheira, e isso incomodava as outras esposas de Odé. Contudo havia um segredo que rondava Oti, as outras esposas do caçador, começaram a notar que Oti, não tomava banho no rio e nem se trocava na frente de ninguém. Elas então começaram a tramar um plano, iriam fingir que eram amigas para poder saber tudo sobre a rival. Chegou finalmente o dia de Oti cozinhar para Odé, por ser esposa mais nova era a última a cozinhar, nesse mesmo dia pela manhã, as rivais ficaram a espreita para ver Oti tomar banho, e descobriram o segredo da jovem Oti. Estava a nossa heroína a cozinhar um axoxó a Oxossi e por alguns momentos se distraiu, então uma das esposas de Odé, colocou mel na comida. Oti terminou o prato e foi provar, quando uma delas grita:

- Não faça isso, Aganã não gosta!

-Mas precisamos provar e se ele não gostar do tempero? – Disse a inocente Oti

-Sim ele vai gostar, afinal seus dotes são conhecidos por todos...

Quando Odé chegou, estava ansioso por provar a comida de Oti, quando colocou na boca e provou o mel, ficou furioso, aproveitando da situação uma de suas esposas tirou o laço escondia o segredo de Oti e começaram todos a rirem pois ela tinha 3 grandes seios, porém Odé conhecia o segredo e ficou decepcionado com suas esposas, então ele decidiu que a partir daquele momento Oti iria com ele caçar e não ficaria mais em casa sendo alvo de perseguição de suas outras esposas. Assim Oti acompanha Odé tanto na caça quanto na pesca. Otin lá!

Odé Oti

Do casamento de Odé Aganã e Yá Oti, nasce Odé Oty. Odé Oti foi criado pela mãe até que chegasse a maioridade, por isso carrega chapéu com fila, e também abebé e usa um lanço na frente um pouco mais abaixo que sua mãe. Yá Oti, para cuidar de seu filho, acaba indo morar perto de um rio que cercava a cidade, e Odé sempre ia visitar os dois, como Yá Oti era excelente caçadora, aprendeu a tratar das peles dos animais e ensinou seu filho a essa arte e o tronou o orixá das peles, ele é responsável por garantir que todas as partes da caça sejam aproveitadas. Ele também é considerado o protetor da Jaqueira de Opáoká.

Comida

Come axoxó, banhando com vinho moscatel e o Ado.

Filhos de Oti

Seus filhos carregam algumas características de Odé, porém são mais doces. Aprendem com facilidade, e gostam sempre de estar em movimento e em constante aprendizado, são caseiros e também céticos. São dedicados, porém são egocêntricos e tem tendência a se sentirem sós. Suas vidas geralmente conseguem vencer as dificuldade e conquistar coisas sólidas e amizades duradoras.

Espero que tenham gostado e mais uma vez obrigado por todos e-mail !!!

5 comentários:

Massa disse...

Motumbá Baba, li seu post a respeito de Odé Oti. Gostaria de saber se esta qualidade de "oxóssi" carrega Oxóssi, Exu e uma leba. Pois fui raspado neste orixa (não é Oxossi Otin) mas eu não achei até agora nada que falasse a respeito desta qualidade. A não ser neste seu post como "Ode Oti". Se possível gostaria q pudesse comentar a respeito. meu email é lmassa1@hotmail.com
Desde já agradeço. Motumbá, motumbá axé.

Francisco de Logunedé disse...

Sua Benção meu Pai...
Estive um tempo sem acessar a net e seus posts, pois me recolhi para me iniciar no Candomblé, entrei para fazer o Orixá Logunedé e para minha surpresa fui iniciado para o Orixá Odé Oti... Um Orixá no qual não tinha muito conhecimento, mas que agora a cada dia estou aprendendo mais e mais, e espero mais postagens sobre esse Orixá considerado raro e com culto quase extinto aqui no Brasil.
Asé.

Erika d Otim disse...

Bença e mutumba!! sou iniciada em yá Otim,sou filha de Roberto de Odé neta de Omifoloyó do Asé oxumare! existem muitas itans sobre esse orixa e as vezes fico um pouco confusa!! mais amoo minha mãe Otim!!! e obrigada por trazer temas tao legais para nos voduncis!!!

Erika d Otim disse...

Bença e mutumba!! sou iniciada em yá Otim,sou filha de Roberto de Odé neta de Omifoloyó do Asé oxumare! existem muitas itans sobre esse orixa e as vezes fico um pouco confusa!! mais amoo minha mãe Otim!!! e obrigada por trazer temas tao legais para nos voduncis!!!

Monique Rocha disse...

Pocha muito legal, Érika! uma pessoa iniciada neste orixá é muito raro. E existem muitas versões de estórias a respeito. Poderia postar algumas lendas para a gente, Érika? Bjs!