quarta-feira, 4 de abril de 2012

10 Dias de para ser um bom filho de santo

Bom dia a todos!
Nesse sábado vou tocar para caboclo, vai começar as 20h, afinal estou devendo isso aos nossos ancestrais donos dessa terra, não devemos esquecer que eles estavam aqui (Brasil) antes e cultua-los é importante.
Vamos falar hoje de atitudes que ajudam a melhorar nossa convivência na casa de santo, afinal nunca deixamos de ser filhos, sempre teremos um pai ou mãe de santo zelando por nós. Para quem acompanha o blog sabe que desde setembro do ano passado estou afastado da casa de candomblé do meu pai, e infelizmente seguirei novos caminhos e que Odé encontre uma nova pessoa para cuidar dele e de mim, fico triste pois acredito que ninguém toma obrigação em uma casa pensando em sair, e se faz isso é porque não tem índole alguma, enfim, reuni 10 dicas para ser um bom filho de santo, e isso independe de nação, são sugestões e uma visão pelo olhar de zelador e de filho.
Dez dicas de ouro
1 – Antes de fazer santo ou tomar obrigação, sente com o seu zelador e tenha uma conversa franca, aponte seus potenciais e seus defeitos, sei que isso é difícil, mas é preciso, diga a ele (a) qual o tempo que você reserva para a religião, em que ocasiões pode se ausentar.
2 – Ao pegar a lista de obrigação, leia atentamente, e anote suas dúvidas, nunca vá as compras sozinho, peça para seu pai ou um egbomi da casa de acompanhar. Isso evita erros e desperdício de tempo e dinheiro.
3 – Não leve picuinhas e fofocas para o seu zelador, tenha em mente que ele cuida de diversas pessoas e o tempo que ele tem pra se dedicar deve ser investido em problemas de verdade, como falta de saúde, de emprego. Você ser do orixá tão te fará isento a dores de barriga, brigas conjugais e outras pedras do cotidiano.
4 – Mostre interesse, a casa de santo mesmo sendo uma instituição religiosa, é feita de pessoas, cada tijolo, cada axé plantado, tem a mão de alguém, por isso você deve demonstrar através de atos, seu comprometimento, seja passando um pano no chão ou colocando uma cortina.
5 – Filho de santo não precisa ser convidado! Hoje contamos com telefone, e-mail e redes sociais, para nos informar quanto aos eventos realizados no axé. Cada zelador tem em média 30 filhos de santo frequentes, imagina ele ter que avisar um por um, não tem jeito sempre vai acabar esquecendo alguém.
6 – Quando for para função, leve sua roupa de ração, e sempre uma de reserva, assim como seus produtos de higiene pessoal, não esqueça seus fios de conta, mokan e contra-eguns.
7 – Não existem apenas direitos, existem deveres também! O barracão tem contas, despesas pesadas, por isso é de suma importância a colaboração de todos desde o abiã até o egbomi, sem a contribuição financeira, não é possível melhorias, promoção de eventos e treinamentos.
8 – Pontualidade é importante em qualquer ramo da vida. Em dias de oro e candomblé o correto é dormi no axé, mas se não é possível, chegue cedo.
9 – Saber seu lugar. Se pergunte: - Qual o meu lugar na casa de santo? – Quais são meus objetivo lá? – Quais minhas responsabilidades?. Se você não conseguir responder nenhuma delas, é porque está perdido (a). Estamos nessa vida para ser vitoriosos, para brilhar, mas de braços cruzados e jogados ao acaso nada disso será possível...
10 – Procure estabelecer com seu zelador um laço de confiança, amizade e respeito, ele é ser humano como todo mundo, o que faz ele ser especial na sua vida é o fato de te ligar ao seu orixá, no dia do seu santo ligue para pedir a benção, não esqueça  data de aniversário dele, reforce essa aliança, seu orixá nasceu em sua vida através das mãos dele e isso é por toda sua vida. Não vire as costas para seu axé, por pequenas coisas e não cobre dele aquilo que você não oferece.
Pense e repense suas atitudes...
Um grande abraço e até a próxima!

5 comentários:

Anônimo disse...

A vida na casa de santo é dura para quem é mole...viver axé é ter a responsabilidade com seu orixá e acima de tudo com o amor e dedicação que é nos dado. Enquanto o povo de orixá não começar a ver o candomblé como religião e não como modo de fazer as coisas ficarem mais fáceis, nada vai pra frente.

Obrigado pelo espaço. Flavio de Oyá

Felipe Teixeira Carfona disse...

Não basta ser filho de Santo, Tem que participar.

Anônimo disse...

A pior coisa de ir para a casa de santo, é ficar lá sem aprender nada, só na esteira, e quando questionamos ninguém quer ensinar...aff... Como dia o pai diego, é hora de mudar, o candomblé é dos jovens!

Anônimo disse...

ACHO QUE SIGO ALGUMAS LIÇÕES... MAS PARA SEGUIR TODAS TEM QUE SER NINJA...KKK...SÓ TENHO 1 ANO DE SANTO, ATÉ OS SETE EU CONSIGO...HEHEHE...BIA DE AJAGUNÀ

Anônimo disse...

Triste é quando vc acaba de perder sua Mae e encontra uma Yalorixá que se aproveita da sua dor,bota vc pra dentro do Roncó visando somente o dinheiro e quando vc é feito sua vida Espiritual e Material está de cabeça pra baixo!!Meu pensamento é Orixá NUNCA ERRA A MATÉRIA SIM!!Meu Orixá carrego comigo no meu coraçao e hoje em dia tenho certeza de que ele jamais falhou comigo!!Minha História é muito triste,sigo sem entender até hoje,11 anos depois da minha FEITURA!!Mais sei que Oxalá e Yemonjá sao maiores que tudo nesta vida!!