segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Relacionamento x Vida Espiritual


-->
Relacionamento x Vida Espiritual Sempre que falamos de amor é complicado, esse é um assunto que temos que analisar caso a caso não é mesmo? Mas existem situações que são comuns e é sobre elas que vou dar algumas dicas.

Eu sou do candomblé e ele(a) não é

Vivemos em um país que tem uma diversidade cultural, étnica e religiosa muito grande, então isso não é difícil de acontecer. Porém tem que existir respeito mutuo, e você tem que saber que ele ou ela, tem que aceitar você como um todo e não apenas as partes que onde não há desafio. Sua fé é sua fé, ninguém vai substituir, e quando o outro começa já não aceitando isso nem aquilo, fuja, afinal não á barreiras para o amor.

Quais são os prós e os contras de namorar alguém que não é do candomblé?

Prós: Ele (a) terá a oportunidade de conhecer uma nova crença, de desmistificar essa história  de que o candomblé é coisa do diabo, pode até mesmo desenvolver simpatia pela casa de santo e um dia ser iniciado.

Contras: A pessoa pode não entender o período de resguardo. O ciúmes também pode ocorrer, e para que isso não haja, leve ela para conhecer o ambiente que você frequentar e não tenha vergonha, afinal é sua religião.


Somos ambos da mesma casa de candomblé!

Existem algumas casas que não permitem namoro entre irmãos de santo, mas será que existe proibições para o amor? Será que podemos colocar cabresto até no coração? Não, não podemos, afinal esses são sentimentos que surgem. Por isso tenha uma postura digna, antes de qualquer coisa, sente como o seu zelador (a) e converse, peça conselho, e tenha um relacionamento saudável dentro da casa de santo.  

Como enfrentar juntos o tempo de resguardo?

Primeiro encare isso como uma prova de amor. Eu tenho alguns casos para citar, o do meu pai carnal por exemplo, ele não é do orixá, mas sempre respeitou a minha mãe e ele dizia : "Eu sei que é o melhor para ela, e também é um período muito pequeno, tendo em vista, a vida toda que estarei ao lado dela"...Pois é lindo. O amor é assim, então sente com seu parceiro e converse muito bem antes, afinal isso não vai durar a vida inteira. E crie alternativas, por exemplo: Façam as refeições em casal e conversem sobre o dia dos dois. Não vai ser o sexo que vai distanciar aqueles que querem uma relação sólida. Mas dê atenção a ele (a), não da maneira convencional, mas refletindo a mais pura forma de amor, que é a amizade.

Paixão pelo zelador (a)

Como estava falando acima, no coração ninguém manda, e por isso o tempo de abiyan é importante, ele vai de seis meses a um ano, e serve para isso mesmo, para ver a sua adaptação, se é ele ou ela, que vai ser o seu bàbálorisá mesmo, e caso algum sentimento surja, e como eu sempre digo: converse. Mas não se inicie com alguém que você mantém uma paixão ou amor, mesmo que for platónico, afinal você sofrerá todos os dias o fato de não poder tê-lo (a).  Me apoio na lenda (itan) diz que o primeiro filho de Yemonjá, manteve por ela um amor carnal e a mãe teria o repudiado. Portanto entendemos que o incesto não é bem visto na maioria das casas de candomblé. Sabemos o respeito pode ficar comprometido, pois você já não enxerga ele (a) como pai, como sua ligação com o orisá, e sim como homem ou mulher (HxH, MxM).

Somos da mesma casa e o relacionamento acabou. E agora?

Um dos dilemas mais difíceis da vida de alguém do candomblé, o  relacionamento acabou e somos da mesma casa, como enfrentar isso? Sendo adulto!. Quando você se relacionou como seu irmão de asé já sabia que todo relacionamento, está sujeito a acabar, por isso não misture as coisas. Continue indo nos dias de obrigação e festividades, fazendo a sua parte. Não é incomum os relacionamentos acabarem em briga, e realmente fica muito chato, ter que ver o bendito ou bendita, no terreiro e ter que conviver com isso. Mas toda raiva passa, você vai seguir sua vida e ele (a) também. As coisas aos poucos vão se colocando no lugar. Portanto: O Orixá não tem nada a haver com isso! Eu acho que daí vem a questão de tantos zeladores, proibirem relacionamento dentro da casa de santo, no final é difícil não misturar.

Meu Zelador (a) se intromete na minha vida conjugal!

É, em pleno século 21 ainda acontece muito, como disse acima, o candomblé é uma religião familiar, então com o passar dos anos acabamos procurando nossos zeladores para se abrir em relação a assuntos do coração, mas isso não dá o direito a eles ditarem decisões, fazendo intriguinhas e fofocas, sobre aquilo que falamos em caráter de segredo. Como é chato falar algo com o zelador e todo mundo ficar sabendo, não é mesmo? E gente isso acontece, escuto tantos casos, por isso, deixe as coisas claras com seus zeladores:  “Pai estou confiando no senhor então não gostaria que isso saísse daqui, nem mesmo aos cargos”. E esteja aberto a ouvir, ele não quer seu mal.

Bàbá Diego de Odé
terradosorixas.blogspot.com.br
#amor #fé #candomblé #orixá #babadiegodeode #axé



Relacionamento x Vida Espiritual

--> Relacionamento x Vida Espiritual Sempre que falamos de  amor  é complicado, esse é um assunto que temos que analisar ...