segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Crescimento Espiritual


Boa tarde a todos,


Começo essa semana com muitos afazeres e grandes responsabilidades. 
Para iniciar vamos a uma reflexão:



O Objetivo de um filho (a) de santo é alcançar a harmonia com o axé e atingir a integração com seu Orixá, para isso existem ferramentas que vão auxiliar no crescimento espiritual do omo-Orixá, e elas são:

- Rumbè: Conjunto de regras que tem como função, educar os filhos dos Orixás, ensinando-os a conviver em grupo, a respeitar os mais velhos e compreender e ajudar os mais novos.

- Pai ou Mãe de Santo (Babálorixá ou Iyálorixá): Mesmo uma casa que tenha mais de uma liderança religiosa, como o Egbé L’ajò, se é iniciado por uma única pessoa, sendo as demais que ajudam, igualmente importantes, porém, somos responsabilidade de um único Pai ou Mãe, que tem a função de orientar, conforme sua vivência e aprendizado, a conduta do omo(filho). 

- Egbomy: Os seus mais velhos, são seus exemplos, mas isso não quer dizer que eles sempre estarão certos, afinal o aprendizado no candomblé é eterno, siga sempre os bons exemplos, os que agem com educação e postura séria, quanto mais velho de “santo”, mas humilde e receptivo ele tem que ser, pois só quem passou por tudo, sabe o quanto é difícil superar as dificuldades de ser um iyawò.

- A Egbé: A comunidade, é formada por pessoas de várias idades, classes sociais diferentes e isso tudo, dá ao candomblé uma grande diversidade, o que muitas vezes pode tornar a convivência, um desafio, mas tenha em mente que seu papel na casa de Orixá, é desenvolver sua espiritualidade e compreender sua existência, fazer amigos, é consequência e não deve ser colocado em primeiro lugar, pois cedo ou tarde você vai se decepcionar com as pessoas e isso pode atrapalhar sua conduta religiosa, ou seja, Orixá e meu zelador em primeiro lugar!

Como eu costumo dizer, ser humilde não é ser besta, não aceite humilhação, tapa na cara, nem baixaria, isso não é do Orixá. Quem não está pronto para ter comprometimento, respeito e educação, não deve entrar para o candomblé, pois zelador nem um de respeito, irá tolerar malcriações nem falta de índole, afinal ele zela pelo bem estar do Egbé, muitas vezes, para proteger o rebanho, terá que matar o lobo.

Tem muita gente que não viveu candomblé, não superou a dificuldades, querendo dar aula ou reclamando da religião, o que acaba denegrindo a imagem do culto e de pessoas sérias. Pensem bem antes de falar contra seus zeladores, pois existe uma energia chamada Iyámin Osorongá, que observa nossos juramentos e assiste cada passo que damos, e com elas não são enganadas pelas nossas palavras.

Uma ótima semana e aproveito para agradecer todo o carinho das centenas pessoas que curtem e compartilham as frases e fotos de nossa casa, fico muito feliz em contribuir para nossa religião.

Babá Diego de Odé
11 – 4141-0167

Nenhum comentário:

A Força do Ajé - Como funciona

A força do Ajé – Como funciona Sabemos que no Candomblé a força do “Ajé” existe, seja em qual for a época, sempre se ouviu falar que há...