quinta-feira, 26 de junho de 2014

Iyamí Oxorongá – Guardiãs da Vida e da Morte

Desde muito pequeno ouço falar e praticar o culto as Mães Ancestrais, mas na última década vem acontecendo um movimento que chamo de “Iyámania”, ou seja, tudo é culpa de Iyá, todo mundo joga nas Eleyés a responsabilidade das infelicidades da vida e isso é um grave erro, pois elas possuem características maravilhosas que estão sendo esquecidas e nesse texto eu busco desmistificar essa imagem de “bruxa medieval” com berruga na ponta do nariz e que fica o tempo todo conspirando contra a humanidade. Meu ato de dissertar sobre o assunto se deve também a ligação que Erinlè, meu pai, tem com a ancestralidade feminina, pois é filho de uma Iyá, Iyá Apaoká, aquela que mora na jaqueira.


Iyámi Oxorongá é uma divindade suprema, ou seja, uma irunmolé e representa o principio coletivo feminino e na nossa religião tem a função de catalisadora do poder divino que une todas as mulheres e zela pela hierarquia e guarda a vida e a morte, pois ao contrário dos homens que após sua morte, são venerados individualmente no culto à Egun, as mulheres agrupam-se em um só axé que é protegido por Iyámi Oxorongá.

Entretanto, lidar com tal energia exige conhecimento, postura digna e respeitosa e é tarefa sempre da mais velha da casa cuidar de seus objetos sagrados que ficam sempre na frente da casa de axé, protegendo e zelando pela ordem social e harmonia, essa é a razão que em toda grande festividade, ela recebe presentes e oferendas. Os antigos dizem que por sua ligação com Oxum, Orixá que representa a gestação e o sangue menstrual, não se cultua uma sem se cultuar a outra. 

Um aviso importante é que, independente de que nação sejamos, devemos sim prestar homenagens aos nossos ancestrais, porém se você não tiver o conhecimento teórico e prático para isso, busque-o antes de sair por aí fazendo ebós e cultuando-os, lembre-se que entrar no mundo dos mortos é uma grande responsabilidade e como tal, exige dedicação e preparo, ou então o que é bom, pode sim se tornar nocivo e não invoque as Mães para prejudicar o outro, elas podem até ouvir seus pedidos, por querer te proteger, mas você atrairá os olhos delas para sua vida e vai ser julgado a cada passo certo ou errado que der. 

Mojubá a todas mulheres do passado, presente e do futuro!

Nenhum comentário:

A Força do Ajé - Como funciona

A força do Ajé – Como funciona Sabemos que no Candomblé a força do “Ajé” existe, seja em qual for a época, sempre se ouviu falar que há...